• Banner01
  • Banner02
  • Banner03

COMUNICADO

O CAMI tem sido confrontado nas últimas horas com uma grande de afluência de contactos por parte de concorrentes que se intitulam como inscritos no Rali Vinho do Porto e que têm manifestado perante o clube algum desconforto pelo facto de se terem inscrito numa prova que entretanto mudou de nome, mas que continua sendo anunciada como Rali Vinho do Porto. Acresce o facto de terem alterado à última hora o local de partida prevista inicialmente na Praça D. João I, sendo substituída pelo Freixo (Palácio do Freixo). Agendada amanhã dia 18 às 14.00 hrs.

Aos factos ocorridos o CAMI esclarece o seguinte:

Declinamos qualquer responsabilidade no que se refere à organização e promoção da referida prova.

O Rali Vinho do Porto encontra-se agendado no calendário da FPAK sendo a única prova com essa designação em Portugal e o CAMI a entidade responsável pela sua organização.

O CAMI apresentou à Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting, entidade que tutela o Desporto Automóvel em Portugal, o adiamento do Rali Vinho do Porto invocando motivos prontamente compreendidos pela FPAK.

Pelo que podemos apurar, a entidade Vintage Celebration que organiza a prova designada por Douro Experience-Rota das Vindimas, não tem competência legal para organizar provas desportivas de automobilismo. Nem a prova em questão tem a aprovação da Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting. O que, caso se apresentem classificações, divisão de carros por categorias com numeração de prova, etc, transforma o evento numa prova desportiva que, pelo facto de não ter Regulamento de Prova aprovado pela FPAK é considerada ilegal. vulgarmente designada como “pirata”.

Também apuramos que, por motivos internos das entidades, o Instituto do Vinho do Porto e a Porto Lazer deixaram de apoiar a prova em questão, agora designada como Douro Experience-Rota da Vindimas.

Consideramos esta situação preocupante, tivemos sempre uma postura passiva devido ao facto de a marca Rali Vinho do Porto, os Concorrentes  e as instituições nos merecerem o máximo respeito e consideração. No entanto preocupa-nos o facto de os concorrentes estarem à margem do que se passa e provavelmente não terem consciência do risco que correm ao participar numa prova, que, pelos indícios demonstrados é ilegal.

É do conhecimento publico que recentemente partiu da Cidade do Porto um Rali Histórico Internacional, tendo ocorrido um acidente na zona do Caramulo, em que um concorrente se despistou causando a morte aos dois ocupantes, pai e filho. Situações como esta são motivos de grande preocupação.

A segurança das provas é um assunto que muito nos sensibiliza. Os recentes acontecimentos na Corunha são exemplo disso. Infelizmente pode acontecer, mas numa entidade que não tem competência nem experiência na organização de provas desportivas, o risco é francamente maior.

O CAMI está, como sempre esteve disposto a colaborar com todos os concorrentes, entidades e instituições, mas sempre dentro da legalidade.

A FPAK tem conhecimento dos factos e com certeza irá agir em conformidade.

O CAMI - CLUBE AVENTURA DO MINHO

apoios